Exportação de calçados do Brasil segue em queda no primeiro trimestre de 2020

Foram embarcados 8,9 milhões de pares, com US$ 74,2 milhões, queda de 2% em pares

Postado em: em Economia


Dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) apontam que, no primeiro trimestre de 2020, foram exportados 32 milhões de pares, que geraram US$ 240,9 milhões. 

Os números representam quedas tanto em volume (-8,5%) quanto em receita (-9,4%) na comparação com igual período do ano passado.

Considerado apenas o mês de março deste ano, foram embarcados ao exterior 8,9 milhões de pares, gerando US$ 74,2 milhões, quedas de 2% em pares e de 11,2% em faturamento em relação ao mesmo mês de 2019.

O presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, destaca a crise global decorrente da Covid-19, que reduziu a demanda internacional por bens que não são de subsistência, como é o caso dos calçados.

“Sentimos os primeiros reflexos da pandemia em janeiro, visto que países asiáticos e europeus já vinham sendo impactados desde o início do ano". 

"Em março, além do próprio Brasil, nosso principal destino, Estados Unidos, também começou a sofrer com o coronavírus, refletindo na queda do consumo naquele País”, avaliou.

A queda das vendas ao mercado americano, já sentida nos últimos meses, se acentuou em março. 

No acumulado do trimestre, foram embarcados 2,8 milhões de pares, que geraram US$ 47,4 milhões, quedas de 28,9% e de 12,6%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2019.

O segundo destino dos calçados brasileiros no trimestre foi a Argentina. O país comprou 2,4 milhões de pares, que somaram US$ 25,6 milhões, incrementos de 35,2% e de 19,1%, respectivamente, ante o ano passado.

O terceiro destino do período foi a França, para onde foram embarcados 2,2 milhões de pares por US$ 15 milhões, quedas tanto em volume (-23,3%) quanto em receita (7,5%) na relação com o mesmo período de 2019.

O Rio Grande do Sul foi o principal exportador:embarcou 7,55 milhões de pares, gerando uma receita de US$ 103,4 milhões, mas os resultados representam quedas de 5,8% em volume e 12,2% em receita ante o mesmo intervalo do ano passado.

O segundo maior exportador foi o Ceará, com 12,4 milhões de pares por US$ 69,4 milhões, quedas de 12,6% e 11,8%, respectivamente.

Em terceiro lugar, São Paulo exportou 2 milhões de pares, somando US$ 23,7 milhões, incremento de 13,4% em volume e queda de 2,6% em receita.


Artigos Relacionados